No desenho fluído…

No desenho fluído da tua tristeza
arranca a erva daninha da solidão.

Então, é só então,
encontrarás na gota de orvalho,
na poalha da brisa,
na luz de verdade filtrada,
essa força que procuras,
esse Norte que anseias
e o cálido chamamento a recomeçar.

Enfim, voltarás a desenhar, livre, a vida

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.